8 Alternativas à carne

by Miguel Gomes on 18 18Etc/GMT-1 Julho 18Etc/GMT-1 2012

Tenho tentado nos últimos tempos reduzir o consumo de carne, e melhorar a minha alimentação, tanto em termos de qualidade como de quantidade.

Porquê este cuidado com a alimentação? Procuro melhorar a forma física, para atingir o meu peso ideal, mas também para prevenir doenças como o cancro, as doenças cardiovasculares, problemas inflamatórios e problemas intestinais que estão directamente ligadas à alimentação, nomeadamente a dietas ricas em açúcar refinado, gorduras, sal e baixos níveis de fibras.

8 Alternativas à carne Existe uma ideia errada de que retirando a carne se come sempre a mesma coisa, o que não é de todo verdade, pois a ementa vegetariana é variadíssima, havendo mesmo opções gourmets para os mais exigentes e até para ocasiões especiais e festivas.

Vejamos as alternativas à carne que se podem encontrar no mercado:

  • Soja
    É, sem dúvida, um dos ingredientes mais utilizados para substituir a carne. Esta leguminosa é considerada um alimento completo por ser rica em proteínas e fornece todos os aminoácidos essenciais. É também rica em minerais como o potássio, o cálcio, o magnésio, o fósforo, o enxofre e o cloro, e em vitaminas como a A, B1, B2, PP e K. A soja contém ainda nutrientes importantes como a lecitina e as isoflavonas.
  • Tofu
    Originário da China e do Japão, é feito a partir dos grãos de soja demolhados, moídos, cozinhados em água e escorridos. O tofu é modelado, geralmente em pequenos cubos e empacotado. Trata-se de um alimento de elevado valor proteico, que contém os oito aminoácidos essenciais, bem como vitaminas e minerais, sem colesterol e que substitui a carne, o peixe, os ovos ou derivados lácteos. É muito versátil, podendo ser marinado, guisado, grelhado, salteado, assado, frito, batido em molhos e recheios, acrescentado a sopas e até doces.
  • Tempeh
    É outro produto derivado da soja, originário da China e do Iapão. De grande valor nutricional, substitui as proteínas animais e não tem gorduras saturadas nem colesterol. Com uma textura elástica, pode ser grelhado, frito ou estufado.
  • Seitan
    Também é originário da China e do Japão e obtém-se da farinha integral de trigo à qual se adiciona água e se amassa à semelhança da preparação do pão. Do ponto de vista nutritivo, o seitan fornece algumas proteínas, é de fácil digestão, não tem colesterol e tem menos calorias que a carne. É um óptimo substituto desta e até no aspecto e textura lhe é semelhante. Absorve muito bem o sabor dos alimentos e dos temperos com os quais é cozinhado, podendo ser cozido, estufado, guisado ou frito. Pode guardar-se no frigorífico num frasco com o caldo ou então congelado. Como o seitan é o glúten de trigo não deve consumido por celíacos.
  • Cereais
    Inclua-os na sua alimentação (de preferência integrais e todos eles ricos em diferentes nutrientes): arroz, arroz selvagem, trigo-sarraceno, gérmen de trigo, trigo kamut, aveia, cevada, milho, milho painço, polenta, bulgur, amaranto ou quinoa. Após serem cozidos (na panela de pressão, por exemplo) são excelentes acompanhamentos. Podem ser usados para fazer croquetes, pastéis ou na confecção de doces, entre outras inúmeras preparações.
  • Leguminosas Além de versáteis são bastante nutritivas. Apesar de nenhuma ser tão rica quanto a soja, o feijão, o grão, as ervilhas ou as lentilhas assumem um papel de destaque. No que respeita à preparação, é necessário demolhá-las antes de serem cozidas. Experimente adicionar ervas aromáticas ou especiarias à cozedura e verá que, para além de mais saborosas, serão digeridas mais facilmente. Para além de acompanhamentos, pode adicioná-las a sopas, saladas, etc.
  • Algas
    São também uma opção, por serem ricas em proteínas, minerais e vitaminas (nomeadamente B12). Para além de versáteis são muitas as variedades: wakame, arame, kombu, nori, entre outras. A sua preparação difere, podendo ser necessário serem demolhadas, fervidas, escaldas ou tostadas dependendo da variedade. Quanto à utilização podem ser incorporadas em empadas, quiches, gratinadas, etc.
  • Frutos secos e sementes São um grupo de alimentos extremamente rico em proteínas, vitaminas e minerais que pode ser incorporado numa dieta vegetariana, enriquecendo-a. Como sugestão, adicione nozes a uma salada ou prefira snacks saudáveis como sementes de girassol ou de abóbora (sem sal).

Com tantas alternativas interessantes, não será, com certeza, difícil substituir as proteínas e as gorduras de origem animal. E, como um dos aspectos mais importantes de uma alimentação saudável é a variedade, não poderá queixar-se da falta de opções!

Leave a Comment

Previous post:

Next post: